Tuesday, 18 November 2008

Un hombre llamado Flor de Otoño*

Parc Cervantes, Barcelona. Novembro de 2008. Fotografia de K.

Barcelona é azul e castanha, blau i marró, as cores misturam-se num abraço sentido e o sol ameno dá uma sensação de paz única. Uma tarde de Novembro perfeita, penso, e estendo-me como um gato ao sol, confirmando que o meu sorriso não desapareceu, antes permanece indelével como as marcas do Outono. Vem-me à recordação alguém que está longe, e deixo-me ficar assim, de olhos fechados, para que essa imagem não se desvaneça. Em Barcelona os sonhos parecem mais reais, apesar de já ter aprendido qual é a minha idade, e quais as minhas limitações. Quando abrir os olhos quero ver com outra ilusão a superfície plana do mundo sem sentido, quero que as cores da tarde pintem as vidas sem glória, as histórias sem paixão. Quero que as folhas douradas e as flores outonais enalteçam a beleza do que vi sem abrir os olhos. E quando chegar o entardecer, já sem despedidas, no murmúrio insone das árvores, terás cruzado o céu até mim apenas com as tuas palabras.


* título de um filme de Pedro Olea

5 comments:

tonsdeazul said...

Gosto imenso das cores do Outono! Como disse Albert Camus um dia "O Outono é outra Primavera, cada folha uma flor". :)

Joana M. said...

Esse sorriso anda por aí há uns tempos... :)

intruso said...

Barcelona tem a cor da realidade e a da ilusão,
Barcelona tem todas as cores (e mais umas quantas...)

:)

Belo texto

abraço

Manel said...

:)

Anonymous said...

"Un hombre llamado Flor de Otoño"
Download: www.glsportugal.com